Comando Nacional dos Bancários orienta rejeição da proposta e greve, a partir do dia 06

 

A reunião de negociação desta sexta-feira (25) representou mais um momento de afronta ao trabalhador bancário e uma tentativa de retrocesso. A Fenaban apresentou proposta de reajuste de 5,5% no salário e em todas as verbas - abaixo da inflação de 9,88%, o que representaria uma perda de 4% para a categoria- e também, abono de R$ 2.500,00. A PLR manteria a regra atual, reajustada.

 

Diante deste desrespeito, o Comando Nacional dos Bancários orienta aos sindicatos a realização de assembleia no dia 1º de outubro, para rejeição da proposta, com indicativo de greve, a partir do dia 06.

 

A Federação dos Bancários de São Paulo e Mato Grosso do Sul considera esta uma resposta muito ruim, pois não atende às necessidades da categoria. Propor reajuste sem ganho real é um desrespeito aos trabalhadores e não se justifica no setor financeiro, que apesar da crise, continua batendo recordes de lucratividade.

 

R$36,3 bilhões de lucro líquido foi a marca alcançada pelos cinco maiores bancos no país (Banco do Brasil, Caixa Federal, Bradesco, Itaú e Santander) no primeiro semestre deste ano, um crescimento de 27,3%,em relação ao mesmo período do ano anterior.

 

Calendário

 

29/09 – Dia Nacional de Luta;

01/10 – Assembleias para deliberação sobre a greve;

05/10 – Assembleias organizativas para a greve;

06/10 – Greve a partir das 0h00

 

Veja abaixo, comparativo entre as propostas apresentadas em 2014 e 2015